Sistemas Instrumentados de Segurança

Data: 12/04/2012 
Local: São Paulo - SP

---------------------------------------

Palestras: (clique para abrir o conteúdo)

  1. Válvulas Solenóides Redundantes
    Palestrante: Mateus C. Souza, Norgren
  2. HIMax - Como manter a produtividade e a segurança no Ciclo de Vida da Planta

    Palestrante: Carlos Gebauer, Hima

  3. Metodologia Aplicada à Implementação de Projetos de Sistemas de Segurança
    Palestrante: Paulo Valentini, Honeywell

  4. Smart SIS Diagnóstico e Gerenciamento de Ativos Totalmente Integrado ao Sistema Instrumentado de Segurança
    Palestrante: Tadeu Batista, Emerson

  5. Disponibilidade e Confiabilidade para todas as Aplicações
    Palestrante: Fabrizio Bongiorno, Invensys

  6. Gestão do Ciclo de Vida de SIS e o Programa de Segurança de Processos na Braskem
    Palestrante: Braskem

---------------------------------------

Galeria de Fotos:


---------------------------------------

Press Release:

Aconteceu no ultimo dia 12 de abril de 2012, nas dependências da UM PE 7 ABC da BRASKEM, em Capuava/Santo André, o segundo Evento Técnico da ISA Seção São Paulo programado para o ano de 2012. O referido evento contou com o tema “Sistemas Instrumentados de Segurança - SIS” e reuniu mais de 70 pessoas do segmento de Instrumentação e Automação Industrial.

A escolha do tema levou em consideração a região industrial de Santo André que representa um dos mais importantes complexos de indústrias de base pertencentes aos setores: Químico, Petroquímico e Energético.
Durante a realização deste Evento, 5 empresas fornecedoras de tecnologia, por intermédio de seus colaboradores expuseram as mais recentes novidades do setor através de apresentações de palestras técnicas, além de uma apresentação da própria BRASKEM explicando o atual uso da tecnologia SIS.

A empresa NORGREN, por intermédio de seu colaborador, o Sr. Mateus C. Souza, palestrou sobre o tema Válvulas Solenóides Redundantes, onde enfatizou que as aplicações de segurança estão abrangidas pelas normas IEC 61508 (aplicável a fabricantes e que equivale à norma DIN V 19251) e IEC 61511 (aplicável às plantas e que equivale à norma DIN V 19250). Foi também explicado sobre condições de falha segura em válvulas e os 4 níveis da TUV para SIL (Safety Integrity Level), para os quais os dispositivos de campo devem ter classificação associada, dependendo da aplicação. Foi mostrada a diferença entre segurança e disponibilidade, onde se utilizam válvulas redundantes para aumentar a disponibilidade quando necessário e solicitado pelo cliente.

Na sequência o Evento contou com a participação da empresa HIMA, que através do Sr. Carlos Gebauer abordou o tema HIMax - Como manter a produtividade e a segurança no Ciclo de Vida da Planta. Durante sua explanação apresentou as versões de controlador aplicado a segurança e suas arquiteturas disponíveis: processadores single ou duplicados, cartões de E/S com monitoração de linha, testes stuck-on/off para saídas, diagnósticos extendidos, etc., provendo uma arquitetura tolerante à falhas e com proteção contra falha de modo comum, atendendo até o nível SIL3 com uma única CPU; foi também apresentada a opção XMR com 1, 2, 3 ou até 4 CPUs.

Após foi a HONEYWELL, através do Sr. Paulo Valentini que abordou o tema Metodologia Aplicada à Implementação de Projetos de Sistemas de Segurança. Durante sua apresentação, foi possível identificar os aspectos de confiabilidade do sistema, eficiência operacional, camadas de proteção e ciclo de vida. Foi explicado sobre as técnicas de modificações on-line aprovadas pela TUV, e sobre as camadas de proteção envolvendo o sistema de controle, gerenciamento de ativos, sistema de alarmes, ação do operador, intertravamentos e por fim a atuação do sistema SIS. Foram citados os principais organismos associados à regulamentação e normas: OSHA, EPA, TUV, IEC e ISA. No final foi mostrado com se define a classificação SIL numa aplicação.

Em seguida foi a EMERSON, através do Sr. Tadeu Batista que abordou o temário Smart SIS Diagnóstico e Gerenciamento de Ativos Totalmente Integrado ao Sistema Instrumentado de Segurança. Sua apresentação mostrou o que um SIS agregou em relação a um CLP convencional: fácil documentação e modificações, automação do procedimento de teste e inteligência na deteção de falhas e diagnósticos. Foi demonstrado que somente 8% das falhas em um SIS estão relacionadas ao Logic Solver (CPU do SIS) e que as demais são causadas pelos sensores e elementos finais de controle, sendo portanto indispensável que os instrumentos e válvulas possuam diagnósticos avançados, além dos testes de parcial stroke específico da válvulas. Foi apresentado o Logic Solver nas versões simplex e redundante e como esse sistema separado é integrado facilmente ao sistema de controle da planta, bem como ao sistema de Gerenciamento de Ativos.

Após foi a INVENSYS, através do Sr. Fabrizio Bongiorno, que abordou o temário Disponibilidade e Confiabilidade para todas as Aplicações. Durante sua apresentação, foi possível identificar o posicionamento do SIS em relação ao Sistema de Controle, e sobre o conceito de disponibilidade (3-2-1-0 ou 3-3-2-1-0). Foram apresentadas as diferenças entre as arquiteturas TMR (2oo3), Dual (1oo2) e Simplex (1oo1) versus as classificações SIL e tempos de operação/MTTR. No final foi apresentado o acréscimo de Cyber Security no sistema SIS, com uso de Security Appliance e Firewall, e também a integração do SIS com os recursos de software para interface de operação e gerenciamento de ativos.

A última palestra do Evento foi apresentada pela BRASKEM e contou com o tema Gestão do Ciclo de Vida de SIS e o Programa de Segurança de Processos na Braskem. A apresentação foi iniciada com a apresentação da estrutura da BRASKEM e suas unidades industriais, seguido do Plano Diretor de Automação e os níveis de automação desde o nível 0 de instrumentação até o nível 5 do ERP. Foi apresentada a fatia de sistemas SIS aplicados nas plantas por região, mostrando que os sistemas de segurança já atingem 39% do total de ativos de automação. Foi demonstrado o Modelo de Gestão do Ciclo de Vida de um Sistema SIS, bem como quando é definido, especificado e executado o projeto para sua aplicação, e posteriormente a sua execução, instalação, comissionamento, operação e manutenção do mesmo (aqui já se incluindo os tipos de contratos de manutenção e parcerias estratégicas).

Autor(a): Kelma Yali, Assessoria de Imprensa

voltar para Eventos anteriores

left show tsN fwR uppercase b01n bsd|left tsN fwR uppercase b01ns bsd|left show fwR uppercase b01ns bsd|bnull||image-wrap|news login uppercase bsd b01|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||